• Renata Vasconcellos

Hérnia de Disco: do diagnóstico ao tratamento


Não é todo mundo que se queixa de dor nas costas que tem hérnia de disco, porém essa é uma das causas mais comuns de dor lombar e também de dor na perna (dor ciática ou ciatalgia) e uma das patologias mais frequentemente tratadas nos consultórios. Devido ao avanço no desenvolvimento de métodos de imagem, principalmente a ressonância magnética, o diagnóstico é cada vez mais rápido e preciso, o que ajuda muito no tratamento e consequente reabilitação.

“Hérnia” significa algo que sai por meio de uma fissura de uma estrutura, e o disco é uma estrutura com cartilagem que contém um líquido gelatinoso no meio, conhecido como núcleo pulposo. Quando esse disco sofre uma lesão, seja ela por desgaste ou até mesmo por algum tipo de fissura, o líquido gelatinoso que se encontra no meio dele se expande e pode se extravasar. Caso a lesão seja muito grande, o líquido sai do meio do núcleo e torna-se externo, com isso o disco diminui o seu tamanho e achata-se. Surge, assim, a hérnia de disco.

Em um adulto, a coluna vertebral tem aproximadamente 70 cm de comprimento e apresenta cinco regiões:

  • Coluna cervical: 7 vértebras

  • Coluna torácica: 12 vértebras

  • Coluna lombar: 5 vértebras

  • Sacro: 5 vértebras

  • Cóccix: 4 vértebras

A partir de uma vista lateral são visíveis quatro curvaturas que dão a coluna vertebral uma forma de S.

TIPOS DE HÉRNIA

As hérnias de disco podem ser classificadas de acordo com sua morfologia:

Extrusas Ocorre perfuração do anel fibroso e deslocamento do material discal (parte do núcleo pulposo) para o interior do espaço epidural.

Protrusas O disco se torna saliente posteriormente, sem ruptura do anel fibroso.

Sequestradas No sequestro discal há o rompimento da parede do disco e o líquido gelatinoso migra para dentro do canal medular, para cima ou para baixo.

Podem também ser classificadas em relação à localização:

  • Zona Central

  • Recesso lateral

  • Forame

  • Zona extraforaminal

E também pelo tempo de evolução:

  • Agudas (com menos de 3 meses de evolução)

  • Crônicas

CAUSAS

Devido a fatores como envelhecimento (degeneração), o anel pode se romper, permitindo a saída de parte do núcleo. Esse material gelatinoso comprime a raiz nervosa e provoca os sintomas da hérnia de disco. O diagnóstico deve ser realizado com base no histórico clínico, exame físico e exames de imagem.

O disco intervertebral é um amortecedor, absorvendo os impactos que a coluna sofre diariamente. E que impactos são esses?

Quando você corre, por exemplo, todas as vezes que coloca os pés no chão a coluna sofre um impacto. Quando você pula, a mesma coisa. Ele é responsável pela sustentação do peso do próprio corpo e de todos os movimentos que você faz como inclinação e rotação da coluna.

Hereditariedade também é um grande fator nessa doença. Mas existem diversas situações que podem aumentar suas chances de ter hérnia de disco:

  • Postura inadequada, movimentos inadequados

  • Excesso de peso (sobrepeso ou obesidade)

  • Atividades de grande esforço físico

  • Traumas ou lesões na região;

  • Histórico familiar da doença;

  • Idade avançada;

  • Sedentarismo;

  • Tabagismo;

  • Ficar em pé ou sentado por muito tempo no dia a dia;

  • Desgastes;

  • Muito esforço físico;

  • Entre outros fatores.

Essas são as principais causas, mas existem outras. Por isso é importante procurar um médico se a sua dor lombar persistir. Muitas vezes ela pode ser apenas um dos sintomas de uma doença mais grave.

TRATAMENTO

Após o diagnóstico, seu médico provavelmente te indicará a fisioterapia. O tratamento da hérnia de disco é geralmente conservador e em pouquíssimos casos é necessária uma intervenção cirúrgica.

A reabilitação envolve exercícios de alongamento e fortalecimento, equipamentos eletrônicos (TENS e infravermelho), uso de compressa quente e outras técnicas como o Pilates, hidroterapia, RPG e tração na coluna, por exemplo.

As sessões podem ser realizadas diariamente, quando a pessoa estiver sentindo muita dor, ou apenas 1 ou 2 vezes por semana quando o paciente não estiver com sintomas agudos.

O tratamento fisioterapêutico para hérnia discal tem diversos benefícios. Podemos destacar:

  • Alívio das dores (tanto nas costas quanto nos braços ou pernas);

  • Aumento da amplitude dos movimentos;

  • Maior resistência física;

  • Diminuir a tomada de medicamentos para controle da dor.

É importante que você leve os exames de imagem para que o fisioterapeuta veja e possa iniciar o tratamento mais adequado.

-

#Dor #TratamentoFisioterapêutico

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo